segunda-feira, 23 de março de 2015

das coisas que a vida ensina

Agora você vai à escola.
Escolhemos uma aqui perto de casa, é católica com apostila evangélica, tem um cardápio balanceado - pizza e banana- e parece um pouco com o colégio da minha infância.
Eu gosto de lá, apesar de não concordar com os pirulitos grudados na agenda.
Você adora.
Bastou completar os 3 pra começar a pedir mais amigos.
Lá você tem: Vinícius, Pedro, 2 Júlias e uma Valentina.
São o assunto quando eu te busco.
E também as músicas, coreografias e umas palavras em inglês.
Vamos aprendendo filha, você e eu.

Toda tarde eu fico com saudade, acredite.
Assim que te deixo no portão e vejo que você vai descendo a rampa, sozinha, carregando nas costas a mochila de borboleta, me dá um nó na garganta.
Não é tristeza, nem de longe.
É uma felicidade absurda, que me enche de amor e ocupa todas as partes do meu coração.
Eu mal posso acreditar no quanto crescemos.
Mal posso acreditar na menina incrível que você se tornou.

Você minha Marina, apesar de agitada e arteira, é de uma delicadeza linda
Sensível a ponto de chorar de alegria
E ainda me abraçar emocionada quando percebe que eu também chorei com aquele filme da Páscoa.
Eu só consigo agradecer
Porque jamais sonhei com tanto.

Todo o amor,
Mamãe.



3 comentários: